Quem será o próximo Papa? Veja alguns nomes de possíveis ‘papáveis’

Algum tempo atrás, o Papa Bento XVI reconheceu que, aos 85 anos de idade, já está “no último trecho da viagem” de sua vida.

Por isso, embora ele esteja com boa saúde, não é crime ou desrespeito começarmos a pensar em quem poderia ser o próximo “sucessor de Pedro”. Neste post, vamos olhar para o cenário atual de “papáveis” sem compromisso nem torcida, com a ajuda do renomado jornalista americano John Allen Jr.

Allen publicou uma lista dos nomes mais citados quando o assunto é “quem será o próximo Papa?”. O vaticanista já avisa que esses levantamentos são falíveis e, portanto, devemos levá-los em conta apenas como “aquilo que se ouviria nas mesas de jantar em Roma”. Para quem lê bem em inglês recomendo que vá ao blog de John Allen clicando aqui.

Ele fez uma espécie de consulta a observadores do Vaticano – jornalistas, diplomatas, acadêmicos, religiosos – e chegou a 12 nomes de eventuais candidatos ao papado. Entre as “possibilidades”, há um brasileiro. Mas antes de resumir a lista de Allen, cabe questionar o que se espera de um Papa? São quatro pontos principais a serem avaliados pelos cardeais num conclave:

1) A experiência pastoral e o apego ao ensinamento teológico da Igreja, isto é, a essência do que é ser o “pastor” do rebanho, afinal, antes de mais nada o Papa é um líder religioso; 2) o caráter administrativo, para saber lidar com o funcionamento do Vaticano, fazer nomeações ou, pelo menos, saber delegar; 3) o caráter político, isto é, saber mediar conflitos e, ao tomar decisões, evitar desagradar partes envolvidas; 4) avaliando o “conjunto da obra”, os cardeais devem pensar no que cada um representaria em termos de transição e evolução ante os Papas anteriores e também no contexto histórico atual.

Se você não sabe como funciona a eleição do Papa, recomendo que clique aqui. Pois bem, vamos à pesquisa de John Allen:

Cardeal Scola

TRÊS FAVORITOS - Eis os “front-runners”: Cardeal Angelo Scola, Arcebispo de Milão, italiano de 70 anos; Cardeal Marc Ouellet, Prefeito da Congreação para os Bispos, canadense de 67 anos; e Cardeal Leonardo Sandri, Prefeito da Congregação para as Igrejas Orientais, argentino de 68 anos.

O Cardeal Scola é especialista em antropologia teológica e muito alinhado ao Papa Bento XVI, o que é uma qualidade. Além disso, é mais extrovertido e, segundo Allen, mais otimista. Fãs dizem que Scola mistura a autoconfiança de João Paulo II com a intelectualidade de Bento XVI. Contra Scola está o fato de ser italiano, pois alguns cardeais querem renovar. Ele também nunca ocupou um cargo no Vaticano. Além disso, representaria o segundo pontificado consecutivo de intensos ensinamentos teológicos, o que poderia ser considerado um excesso.

Cardeal Ouellet

Cardeal Ouellet é outro discípulo intelectual de Bento XVI. Embora seja canadense, já viveu também na Áustria, na Alemanha e na Colômbia, o que é uma qualidade, além já ter trabalhado no Vaticano e como Arcebispo de Quebec. Seria o primeiro Papa das Américas. Fãs dizem que ele é humilde e um grande professor de fé. Porém, alguns dizem que ele é parecido demais com Bento XVI.

Cardeal Sandri

Cardeal Sandri tem a vantagem de ser de uma família italiana na Argentina, um país em desenvolvimento. Durante cinco anos trabalhou como sostituto no Vaticano, uma espécie de administrador-geral, função em que se saiu bem. Portanto, conhece bem o Vaticano, mas pode ter sua imagem “contaminada” por erros da gestão de que participou. Ele é teologicamente alinhado, mas moderado em questões políticas – foi diplomata nos EUA. Alguns acreditam que ele seria um ótimo Secretário de Estado, e não Papa. Além disso, seu cargo atual não é de grande destaque.

Cardeal Scherer

POSSIBILIDADES - Segundo Allen, estes nomes também são muito mencionados: Cardeal Péter Erdő, Arcebispo de Budapeste, húngaro de 59 anos; Cardeal Angelo Bagnasco, Arcebispo de Gênova, suíço de 69 anos; Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo de São Paulo, brasileiro de 62 anos.

Vamos começar pelo brasileiro. O Cardeal Scherer lidera uma importante arquidiocese da América Latina, o que lhe atribui grande visibilidade. Ele tem ampla experiência em Roma, onde viveu por sete anos. Outra qualidade é o fato de ser alinhado às tradições, mas dialogar com novos movimentos. Porém, os brasileiros em geral, segundo Allen, costumam ser vistos em Roma como “caras legais”, mas não firmes o suficiente para o papado. Outra dúvida a ser levantada é se Dom Odilo vem respondendo à altura ao crescimento do pentencostalismo e do secularismo no Brasil. Contra ele pesa também o fato de ser de família alemã o que, para alguns, representaria o segundo Papa alemão consecutivo.

Cardeal Erdő

Cardeal Erdő foi eleito duas vezes presidente da Conferência Episcopal Europeia, o que lhe atribui razoável vantagem porque quase metade dos cardeias é europeia. Ele também tem boas relações na África. Segundo Allen, ele é considerado tradicionalista na doutrina, mas bom em estabelecer consensos entre diferentes correntes. Contra ele pesa o fato de ser bastante jovem, o que consistiria num papado talvez longo demais. Além disso, é especialista em direito canônico, o que para alguns limita um pouco sua visão pastoral.

Cardeal Bagnasco

Cardeal Bagnasco é visto como um líder capaz na Itália, com habilidades para lidar com questões políticas e com a mídia. Pode favorecê-lo o fato de às vezes discordar do atual Secretário de Estado, Cardeal Tarciso Bertone, pois outros cardeais enxergam muitas fraquezas em Bertone. Porém, Bagnasco é muito conhecido apenas na Itália e nunca trabalhou fora de lá, o que pode limitar sua visão de mundo e sua visibilidade.

CHUTES - John Allen menciona outros cinco nomes menos prováveis, tidos como “chutes a longa distância”: Cardeal Gianfranco Ravasi, presidente do Pontifício Conselho para a Cultura, italiano de 69 anos; Cardeal Peter Turkson, presidente do Pontifício Conselho para Justiça e Paz, ganês de 63 anos; Cardeal Robert Sarah, Presidente do Pontifício Conselho “Cor Unum”, guineense de 66 anos; Cardeal Timothy Dolan, Arcebispo de Nova York, americano de 62 anos; Arcebispo Luis Antonio Tagle, de Manilla, filipino de 54 anos.

Cardeal Ravasi

Cardeal Ravasi é visto como um intelectual brilhante em diversas áreas, como teologia, arte, ciências e filosofia, e atua de forma eficiente tanto no meio acadêmico quanto na imprensa popular, aproximando-se dos não católicos. É considerado gentil, afável, engraçado. Mas não tem grande base de apoio na Itália, onde pesa o lado político. Além disso, pode ser visto como europeu demais.

Cardeais Turkson e Sarah

Os africanos Cardeais Turkson e Sarah são as principais apostas para um Papa africano. Ambos trabalharam em grandes dioceses e hoje ocupam cargos importantes no Vaticano. Turkson tem mais experiência pastoral, mas Sarah tem mais laços internos no Vaticano e atua nos bastidores. Porém, os dois dividiriam os votos de cardeais que apostam na África. Além disso, Turkson não teve chances ainda de mostrar se é bom governador e, quanto a Sarah, falta a certeza de que ele se daria bem com toda a publicidade que exige a missão de um Papa.

Cardeal Dolan

Cardeal Dolan ganhou muito destaque nos últimos meses por causa das desavenças com o governo de Barack Obama, nos Estados Unidos, e foi o centro das atenções no último consistório de cardeais. O discurso que fez diante do Papa Bento XVI sobre a “Nova Evangelização” o tornou uma estrela, segundo Allen. Ele tem um estilo de governar pouco rigoroso, mas confiante e bem-humorado. Em Roma, diz-se que ele é o primeiro americano “papabile“. Porém, Dolan nunca trabalhou no Vaticano, seu italiano não é fluente e não se sabe se ele conhece a realidade da Igreja fora do Ocidente. Dolan pode ser visto como extravagante demais para o papado.

Arcebispo Tagle

Arcebispo Tagle é um verdadeiro chute, pois sequer é cardeal (ainda). Isso pode mudar no ano que vem, pois ele tem ganhado bastante destaque no Oriente. Entre suas qualidades estão os fatos de ter posições fortes e saber se comunicar muito bem. Um comentarista filipino disse que Tagle tem “a mente de um teólogo, a alma de um músico e o coração de um pastor”. Porém, além de não ser cardeal, ele nunca morou em Roma e não se sabe se ele conhece a realidade do Ocidente. Tagle também pode ser jovem demais por enquanto: com apenas 54 anos, um eventual papado seu poderia durar mais de 30.

Esse é o cenário atual. Mas, com o passar do tempo, é claro que tudo pode mudar. E vale lembrar que muitos dos Papas eleitos no passado foram azarões, verdadeiras zebras. O mais recente foi um tal de Karol Wojtyła, polonês cujo nome os outros cardeais mal sabiam pronunciar direito.

14 Comentários

Arquivado em Igreja, Igreja no Mundo, Vaticano

14 Respostas para “Quem será o próximo Papa? Veja alguns nomes de possíveis ‘papáveis’

  1. VCS ESQUECERAM DE UM, Cardeal Trujillo da Colombia e O Cardeal Francis da Nigéria

    • Olá Angelo! O post foi escrito há alguns meses e essas coisas realmente mudam a todo momento. Mas na verdade os nomes que você menciona não estão entre os papáveis. O Cardeal Trujillo já faleceu e o Cardeal Francis Arinze tem 80 anos. De qualquer forma, obrigado!

  2. Pedro Dias

    Seria bom que fosse Dom Orani Joäo Tempesta.Arcebispo do Rio de Janeiro,apesar de ainda näo ser cardeal,tem muito carisma.
    Um verdadeiro Pastor

  3. Anderson

    qual a vossa opinião quanto a futuros cardeais no Brasil? nomes concretos? como por exemplo, d. Krugger, d. Tempesta, d Sérgio Rocha ?

    • Olá Anderson!
      É sempre muito difícil fazer essas especulações, porque dependem da vontade do Papa e do número total de cardeais eleitores no mundo, que por tradição não pode passar muito de 120 (atualmente acredito que sejam 119).

      Sendo assim, entre os 3 nomes que você mencionou, ao menos 2 devem se tornar cardeais neste ou no próximo ano: Dom João Tempesta (Rio de Janeiro) e Dom Murilo Krieger (primaz de São Salvador). O motivo é o fato de essas duas arquidioceses serem tão importantes ou antigas (como é o caso de Salvador), que geralmente são lideradas por cardeais. Mas por que esses arcebispos ainda não são cardeais? Porque enquanto houver um cardeal eleitor na própria arquidiocese, não se nomeia um novo cardeal – no Rio, Dom Eusébio Scheid acabou de fazer 80 anos e não vota mais na eleição de um novo Papa, portanto, Dom Tempesta já pode ser nomeado cardeal num próximo consistório. No caso de Salvador, Dom Geraldo Agnelo ainda não completou 80 (só em outubro de 2013) e, se até lá houver conclave, é ele quem vota.

      Sobre Dom Sérgio Rocha, a princípio não vemos motivo para que se torne cardeal logo, considerando que o número de eleitores já está muito perto de 120 – embora sempre mude, conforme os cardeais de todo o mundo completam 80 anos ou morrem. Mas, no fim das contas, é o Papa e seus assessores quem decidem.

      Obrigado pelo comentário! Um abraço!

  4. Nicholai Mattuella

    O Papa acaba de fazer o anúncio da sua renúncia!
    Será que manterás esse cenário?Acredito que não!
    Mas vamos esperar para ver quem usará o anel do pescador.

  5. Junior

    Isso foi incrível . Parece que essa postagem foi profética….

  6. Amarildo Dias

    “…não chameis à NINGUÉM na terra de VOSSO PAI,pois um só é vosso pai,O CELESTIAL.”-(Mateus 23:8 ao 12)

    • Marilene

      CERTÍSSIMO!! Se somos “Apostólicos”, devemos seguir os ensinamentos dos apóstolos que são os mesmos de Jesus Cristo e de toda a Bíblia, sem contradições!

  7. Pedro

    Vai ser o Turkson.

  8. Martinho Ngueve Catombela

    Será que esses acontecimentos tem alguma coisa a ver com as profecias apocalípticas?

  9. celso-panza@hotmail.com

    Evidente que a política como ciência, e inetente que é ao gênero humano está presente na escolha, mas surgem imprevistos. João Paulo II não era previsível como papável em princípio, porém era “carta na manga” para impasses como ocorreu. Scola está na carreira novamente, não faz meu gosto ( de que adianta meu gosto? cômico não?), e creio que não obterá sufrágio, acho que exixtirá uma surpresa. Aguardemos..,,,Celso

  10. ILDERY SILVA

    TENHO CERTEZA, ABSOLUTA! QUE SERÁ BRASILEIRO , João Bráz de Aviz, POIS DENTRE TODOS COGITADOS ESSE TEM UM SORRISO E IMAGEM CARISMÁTICA IGUAIS AO DE JOÃO PAULO I “O PAPA SORRIDENTE”. OBSERVE QUE NA SUA FACE IRRADIA LUZ PURA. ESPERAR PARA VER!

  11. cassio lopes albuquerque

    penso no nome para Papa o Card. filipino,com a assitencia de um italiano como chefe de estado.ex: Card.Angelo Ravasi

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s